quarta-feira, julho 4

A tal da corrente

Sendo que fui desafiado pela Pacharina (se calhar revias este nome), e sendo que tanto a Rita como o Comboio Azul resolveram inventar um desvio numa carreira que, se calhar, se queria direitinha, vou eu agora anunciar as cinco últimas refeições que tomei, da última para a quinta mais recente:

1. Uma sandes de paio com queijo. Não sei bem especificar nada disto, mas asseguro que o paio tinha pouco sal e era bastante vermelho. Daqueles com pouca gordura portanto. O queijo era um daqueles queijos cobertos com colorau, mas não era picante. O pão era uma carcaça. Estou no momento em que escrevo a acabar de comer esta sandes.

2. Uma pita de atum. Aqui fui enganado. Há no Super-Bock-Super-Rock uma barraca que vende comida vegetariana e chás. Disponibilizavam pita de vegetais, pita de atum e bifana de seitan. Esta última, confesso, tinha bom aspecto, mas pareceu-me pequena. A de vegetais era em si uma piada. Optei, mal, pela de atum, pita na qual eu podia fechar a minha mão e fazê-la desaparecer. E não era grande espingarda. Mas compreendam que era a única chafarrica sem fila. No entanto cheguei a casa e só me apeteceu comer uma sandes de paio com queijo.

3. Dois bifes de peru com arroz. Eu detesto bifes de peru, muito sinceramente. Aliás, eu respeito mais um tipo que se diz vegan que um gajo dos que diz que não come carne vermelha. Mas no entanto sou muito bom a fazer arroz. É um dom. Duvido que haja uma única pessoa no mundo que faça um arroz melhor que o meu.

4. Uma perca com um molho de natas e batata cozida. Sem verdura, o que em si é péssimo. E com molho de natas, o que ainda é pior. A perca, ainda assim era muitíssimo boa e fresca, e nem é um peixe que eu coma com frequência, pelo que foi bem-vinda. Para mais foi na cantina do meu emprego, o que baixa a fasquia a todos os níveis.

5. Uma pizza daquelas de queijos, da Telepizza. Eu estava muito ressacado no Domingo, e com dinheiro suficiente para uma pizza. Encomendei na telepizza de Belém uma pizza fromagio, que é uma mistura de quatro queijos e que ainda assim consegue saber a exactamente o mesmo que qualquer outra da mesma loja. Mesmo que seja a pizza bacalhau com natas ou a pizza farinheira. Como faço sempre, pedi massa fina. Como sempre, mandaram-me alguns cinco centímetros de pão debaixo do queijo e tomate.

Com muita sorte podiam ter-me calhado cinco refeições que diriam muito melhor de mim, mas isto uma pessoa é as circunstâncias em que se encontra e eu não sou gajo de fugir às minhas circunstâncias.

Queria passar este questionário a cinco pessoas, mas pedia encarecidamente que se mantivessem nisto das cinco refeições. Temos então, como primeiro convidado deste meme, o maradona. Que fique bem claro que o maradona é o primeiro convidado. Queria ainda que fizessem o mesmo exercício a batukada, o Rogério, o Sousa e o Paradoxo. Tratem lá disso.

12 comentários:

O Escravisauro disse...

As minhas últimas 5 refeições não merecem um post e nem sequer um comment:

1.Sopa Indeterminada + Kiche
2.Sopa d'A Esposa + Gelado
3.Sopa de Feijão Vermelho + Gelado
5.Sopa d'A Esposa + Gelado
4.Sopa Indeterminada + Gelado

Tirei um dente do siso na 6ª feira passada e ando nisto. Um sopeiro. É talvez a semana gastronómica mais trista da minha existência.

Mas a verdadeira razão do comment é a PERCA. Sérgio, não comas isso, man!!! Há uma grande probabilidade de serem percas importadas do UGANDA. Vi um documentário no outro dia e fiquei com um nojo brutal a esse bicho. Para além de ter dizimado todas as outras espécies de peixe do Lago Victória é a principal fonte de receitas das guerrilhas locais que trocam as percas directamente por armas. Tudo feito numa porqueira indescritível. A CE está farta de encontrar salmonelas nessa merda (http://www.diramb.gov.pt/data/basedoc/TXT_LC_8704_1_0001.htm). Não comas isso, meu!!!

Comboio Azul disse...

Por acaso não era "O Pesadelo de Darwin"?

Anónimo disse...

Não compliquemos: quiche. Para quê o K?

sergio disse...

não sabia de nada disso, mas pelo sim pelo não deixo de comer perca. Há mais peixes que marinheiros.

Ou se calhar ainda investigo. É que a perca, não sei se já comeste, é um peixe muita bom. É daqueles assim gordinhos, estás a ver? Não sei que faça.

O Escravisauro disse...

Comboio, pois parece que é esse mesmo. Comecei a ver a meio e não sabia o nome. Entretanto fiz agora uma pesquisa e encontrei este resumo esclarecedor: http://aquintacoluna.blogspot.com/2005/10/heart-of-darkness.html

Anónimo, desculpa lá o k. Foi da pressa. Até troquei a ordem numérica das sopas e tudo...

Sérgio, eu sei, eu sei. Mas vê o documentário e duvido que alguma perca do Uganda te volte a suscitar apetite. Talvez até a sinopse acima referida seja suficiente.

Comboio Azul disse...

Já agora, esclareçam-me uma coisa: diz-se "pérca" ou "pêrca"? Isto é algo que me assola há anos.

O Escravisauro disse...

Pelo que sei é "pérca". Não há nenhuma razão para dizer "pêrca" uma vez que não está o circunflexo. A razão porque se diz dessa forma é por confusão com "perda" que é a forma correcta de se referir à diminuição de algo, prejuízo, etc.

Comboio Azul disse...

Pois, mas nestas merdas fluviais por vezes há gramáticas incompreensíveis, tipo "rio sábor", mas sem acento. Mas agradeço a sua resposta.

a mais nova disse...

"Duvido que haja uma única pessoa no mundo que faça um arroz melhor que o meu."

Lamento, mas esta frase encerra, e não é por falta de informação, uma tremenda mentira. Pense lá melhor e reveja isso do arroz. O quanto antes.

Anónimo disse...

Boas, deixa-me dizer-te que também estive no SuperBock SuperRock, e também fui comer à tal barraca de comida vegetariana, devo dizer que a bifana de seitan estava optima e a pita de atum boa. em contraste com os demais stands de alimentação tive a sensação que estava a comer algo caseiro e não a comida de plástico que se costuma comer neste tipo de eventos. Os hamburgers e cachorros nao passam de uma série de produtos plásticos cheios de E's (E110,E323,etç), provavelmente seriam maiores, mas não posso considerar isso uma boa alimentação.

Sergio disse...

Anónimo, és uma seca, tenho que dizer-te. E por azar, sei bem do que estou a falar. O atum, calcula, era conservado em óleo (tem "E's") e não em água, o que tornaria tudo mais agradável. Milho de lata (tem "E's"), alface cortada na embalagem. A pita de vegetais era em tudo uma piada. Uma salada mista é vegetal, mas por outro lado, se o pão da pita também viesse sem nada lá dentro continuava a ser vegetal. Era muito má.

A bifana de seitan, não provei reconheço, mas soube de quem a tenha provado. Muito louvaram o molho, mas a verdade é que setecentos paus por uma bifana fria não se admite em lado nenhum.

Aquilo era cena vegetariana, o que acho bem. Vê bem como foi o primeiro restaurante onde comi. A comida não era boa, e não há isenção de "E's" que releve este facto.

Beijinhos.

Sergio disse...

mai nova:

É só marcar o sítio e o lugar. Deixo a escolha do arroz (cabidela, peixe, manteiga, caril, xau-xau, marisco, de tomate, de polvo, doce, de feijão) à sua disposição. Vamos nisso.