quinta-feira, julho 6

Já chega de vitórias morais

Meia dúzia (ou mais) de factos simples sobre a bola no campo verde:
1- A França não jogou bem, mas jogou quanto baste. Portugal tem muita força de vontade mas pouco tino para criar oportunidades
2 - O espectáculo dos nossos a atirarem-se para o chão ao mínimo contacto com o adversário foi ridículo. A fita bem sucedida do Henry não justifica tudo
3 - Não percebo que mal terá feito Nuno Gomes para não ter tido uma oportunidade neste mundial
4 - Não percebo que bem terá feito Pauleta para ser indiscutível, apesar de insistir em tratar a bola como se esta fosse oval
5 - O facto de Portugal ter chegado às meias-finais é motivo de orgulho. Como aqui escrevi há muito, nunca pensei que chegássemos tão longe
6 - O melhor do jogo foi a troca de camisolas e o abraço entre dois agraciados com o título de melhor jogador do mundo, na última vez que algum deles esteve numa competição deste género
6 - Este é o mundial das equipas que não querem perder, em vez de ser o mundial dos que querem ganhar. Não envergonha mas não deixa saudades
7 - À falta de uma equipa da qual se possa dizer maravilhas, penso que a Itália, pelo jogo magnífico que fez contra a Alemanha, merece o caneco

12 comentários:

Le Fante disse...

olha, é que estou de acordo. Nada acrescento a não ser o post que se segue! Vá e olha que houve piores mundiais.

Comboio Azul disse...

Também estou de acordo, excepto quanto a haverem dois pontos 6. E já agora, no 2º ponto 6, o Mundial de 90 foi bem pior nesse sentido.

Rufini disse...

Perfeitamente de acordo!... Não acrescentaria um ponto!... Melhor: não é que esteja reçabiado para dar o caneco à Itália em vez da França, mas se jogarem como jogaram contra a Alemanha, bem merecem o caneco!... É estranho ver uma equipa Italiana jogar sem defender tanto como defendiam, mas parece que querem ser diferentes do resto das equipas... É a nova moda italiana!...
De qualquer forma, estamos de parabéns!... Já chega de falarmos da arbitragem!... Já temos maturidade para sabermos cair de pé!...
Bem Haja Figo! Até Sempre!...

DRV disse...

Do ponto 2: nós temos mergulhadores, eles têm bons actores

batukada disse...

Concordo absolutamente com o comboio azul: não se admitem dois pontos 6.

Le Fante disse...

oh batukada, ainda bem que cá estás. Não é mais grave 'haverem' seja o que for do que haver dois pontos seis? Claro que isto não impede em nada que estejamos todos de acordo, até porque isto de plurais de haver é discussão antiga...

batukada disse...

Muito mais grave! É péssimo, aliás. Concordo absolutamente com o Fante.

Comboio Azul disse...

Assumo o erro. É de realçar, no entanto, e sem que sirva de desculpa mas apenas de explicação, o adiantado da hora, o estado de espírito após tão infame derrota e ainda a inexistência de um botão de edição do comentário, visto que me apercebi da gaffe mal reli o parágrafo.

Posto isto, as minhas mais sinceras desculpas.

Le Fante disse...

porra, posto isto um gajo até se sente mal. Tudo culpa da batukada, no entanto, afianço.
sempre vosso, tulius detritus

batukada disse...

Estou completamente do lado do comboio azul, sempre o mostrei, desde o primeiro dia. É claro. Na esperança de que o proletário não surja do meio do nevoeiro para mandar-me conversar para o messenger, subscrevo-me com consideração.

Atenciosamente,

batukada

proletario disse...

O nevoeiro pergunta à Batukada se ela conseguirá ser capaz de manter uma opinião que seja de um comment para o outro. Ainda bem que o Azul mantém o espírito de copy desk. Pena que a escrita não acompanhe a leitura. E repito: este mundial não envergonha, mas não constará entre os melhores.

Comboio Azul disse...

O homem do copy paste fala do copy desk... curioso, no mínimo. E não me venha com histórias acerca da minha escrita não acompanhar a leitura. Relembro-lhe, nomeadamente, uma certa "viajem" que um certo escriba de um certo pasquim com agrafos efectuou há alguns anos. Já diz o povo, que é sábio, que quem tem telhados de vidro não atira pedras ao dos vizinhos.

Por fim, não me obrigue a citá-lo: "Este é o mundial das equipas que não querem perder, em vez de ser o mundial dos que querem ganhar. Não envergonha mas não deixa saudades" não é, de todo, idêntico a "este mundial não envergonha, mas não constará entre os melhores.", para que possa afirmar que é obrigado a "repetir-se". O Mundial "das equipas que não querem perder" foi, repito eu, o de 90. O que não quer, necessariamente, dizer que este foi dos melhores. Apenas uma mente tacanha e mesquinha poderia sentir-se atacado e disparar uma tal resposta perante a afirmação que fiz.

Passe mal.